Canela de Velho: Marca Registrada
Doença de Alzheimer: O que é Alzheimer e como prevenir?
Doença de Alzheimer: O que é Alzheimer e como prevenir?
A doença de Alzheimer é uma doença cerebral progressiva e irreversível que destrói lentamente a memória e as habilidades de raciocínio e, eventualmente, a capacidade de realizar as tarefas mais simples.

A doença de Alzheimer é uma doença cerebral progressiva e irreversível

A doença de Alzheimer é uma doença cerebral progressiva e irreversível

Alzheimer

Doença de Alzheimer: O que é Alzheimer e como prevenir?

A doença de Alzheimer é uma doença cerebral progressiva e irreversível que destrói lentamente a memória e as habilidades de raciocínio e, eventualmente, a capacidade de realizar as tarefas mais simples. A doença de Alzheimer não é uma parte normal do envelhecimento. O maior fator de risco conhecido é o aumento da idade, e a maioria das pessoas com Alzheimer tem 65 anos ou mais. Mas a doença de Alzheimer não é apenas uma doença da velhice. Há casos raros que acontecem na faixa dos 30 a 60 anos. A doença de Alzheimer é a causa mais comum de demência entre os idosos.

O nome da doença de Alzheimer é uma homenagem ao seu descobridor o Dr. Alois Alzheimer que em 1906, notou mudanças no tecido cerebral de uma mulher que havia morrido de uma doença mental incomum. Seus sintomas incluíam perda de memória, problemas de linguagem e comportamento imprevisível. Depois que ela morreu, ele examinou seu cérebro e encontrou muitos aglomerados anormais (agora chamados de placas amilóides) e feixes emaranhados de fibras (agora chamados neurofibrilares, ou tau, emaranhados).

Essas placas e emaranhados no cérebro ainda são consideradas algumas das principais características da doença de Alzheimer. Outra característica é a perda de conexões entre as células nervosas (neurônios) no cérebro. Os neurônios transmitem mensagens entre diferentes partes do cérebro e do cérebro para os músculos e órgãos do corpo. Acredita-se que muitas outras mudanças cerebrais complexas tenham um papel no Alzheimer também.

Este dano inicialmente parece ocorrer no hipocampo, a parte do cérebro essencial na formação de memórias. Quando os neurônios morrem, partes adicionais do cérebro são afetadas. No estágio final da doença de Alzheimer, o dano é generalizado e o tecido cerebral encolheu significativamente.

Como prevenir a doença de Alzheimer

A prevenção do Alzheimer deve começar cedo com atitudes simples que podem ser adotadas no nosso dia a dia. Nas últimas décadas, muito se tem pesquisado, sobre causas e como prevenir a doença de Alzheimer. Baseada em estudos científicos recentes, a jornalista americana Jean Carper escreveu o livro 100 Dicas Simples para Prevenir o Alzheimer e a Perda de Memória. Jean Carper é uma premiada jornalista americana que há décadas escreve sobre nutrição.

No livro de Jean Carper, a autora traduz as informações médicas em práticas simples que podem ser adotadas no nosso dia a dia para evitar o surgimento dos problemas inerentes a perda de memória. Sabe-se que a doença Alzheimer é a forma mais comum da demência causada pela deterioração e atrofia lenta e progressiva do cérebro, ocasionada por dois tipos de danos nos neurônios: 1. Depósito de placas de proteína beta-amiloide 2. Emaranhados de proteína tau no cérebro.

A doença Alzheimer é uma doença irreversível isso é não tem cura. Os medicamentos apenas ajudam a preservar o que ainda resta da função cerebral, além de possibilitar o tratamento de sintomas secundários como insônia e depressão. Em estágios avançados, na maioria dos casos, os problemas da perda de memória podem vir acompanhados de dificuldade na locomoção, comunicação e deglutição e incontinência.

Sabe-se que o Alzheimer e outras demências estão influenciadas por genes, que podem ganhar ou perder importância de acordo com estilo de vida de cada um e a fatores meramente ambientais. Pode-se afirmar então, que pessoas com genes relacionados ao Alzheimer estão mais predispostos, mas não necessariamente estão condenadas a desenvolver a doença. Justamente, é o que nos ensina este livro, é de suma importância realizarmos atividades e termos hábitos que mantenham o cérebro o mais ativo, saudável e prazeroso possível. Baseado neste livro podemos resumir as boas práticas de vida.

Siga a boa dieta mediterrânea, alimentando-se com verduras, saladas, azeite de oliva extra virgem, peixes e vinho

  • Sabe-se que o ômega 3, presente em peixes ricos em gordura, como o salmão, e o azeite de oliva extra virgem ajuda a prevenir a doença,
  • Pesquisadores isolaram a substância oleocantal, no azeite de oliva extra virgem e concluíram que essa substância impede dos aglomerados iniciais de beta-amiloide se agarrem às sinapses das células nervosas, retardando dessa forma a doença,
  • Já as verduras folhosas e crucíferas, como o espinafre, são capazes de frear e reverter a perda de memória. Em média, comer, três porções de verduras e legumes por dia pode rejuvenescer a idade cognitiva de uma pessoa em até cinco anos,
  • E finalmente, duas taças de vinho tinto por dia, ajudam a bloquear a perda de memória.

Dicas simples que ajudam o Alzheimer:

  • Café (cafeina), essa substância combate as toxinas do Alzheimer no cérebro, o que previne contra a doença e também pode ajudar a diminuir o comprometimento da doença, caso a demência já esteja em curso;
  • Evite se estressar, seja sempre otimista com a vida. Sabe-se que o stress produz hormônios indesejáveis para o cérebro. Pessoas otimistas com a vida, maleáveise e tranquilas são menos propensas a enfrentar problemas de perda de memória e demência. A depressão é fator de risco para o desenvolvimento do Alzheimer;
  • Aumente sua reserva de conhecimentos, estimule desde cedo seu cérebro a pensar e gravar cada vez mais conhecimentos, mesmo um cérebro acometido pelo Alzheimer, pode continuar funcionando se tiver muitos conhecimentos acumulados ao longo dos anos;
  • Controle colesterol alto e a diabetes. Tenha uma vida saudável, cuidando da sua saúde. Estudos mostram que colesterol alto e a diabetes são fatores de risco para se contrair a doença de Alzheimer;
  • Controlar sua pressão arterial é uma das principais formas de adiar ou prevenir a demência mental. Se a pressão sanguínea não for controlada, a pressão alta pode provocar a perda de memória precoce, isso favorece e duplica as chances de se desenvolver o Alzheimer e aumenta em seis vezes o risco de demência vascular. Nesse caso, o fluxo de sangue para o cérebro diminue drasticamente ou é bloqueado definitivamente e, assim, os neurônios morrem pela falta de nutrientes;
  • Evite o sobrepeso e a obesidade. O excesso de peso pode levar a uma degeneção cerebral severa. O que causa encolhimento do cérebro e cria condições ideais para o processo da demência mental. Sabe-se também que uma dieta menos calórica está diretamente relacionada à redução da taxa de envelhecimento cerebral. isso significa que pessoas que comem menos têm cérebros mais sadios, mais funcionais e, consequentemente, com menor risco do Alzheimer;
  • Dormir bem é fundamental. Dormir mal com frequência pode provocar um tipo de dano cerebral semelhante ao Alzheimer. Sabe-se hoje, que dormir bem ajuda a manipular os níveis da beta-amiloide e manter os níveis dessa toxina mais baixas, o que ajuda a prevenir a doença de Alzheimer;
  • A prática de atividades físicas é desejável e estimula o cérebro. Quanto mais seu corpo se movimenta, melhor seu cérebro pensa;
  • Dar sentido à vida, dar foco a algum propósito na sua vida diminue os riscos de se contrair o Alzheimer em até 2,5 vezes menos do que aqueles com uma vida sem propósitos. O cérebro se beneficia de coisas novas é importante sempre fazer algo novo, já que a resposta do cérebro a qualquer novidade pode colaborar para evitar o Alzheimer.